TInformando - links para os meus blogs, YouTub e facebook http://tinformando-meus-blogues.blogspot.com/

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Eleições para que o Brasil não evolua?

Ânimo para votar?
O Brasil é um país presidencialista e com altíssima concentração de poder em Brasília, algo que veio na esteira pouco eficaz de se formar uma potência que nunca deslanchou exatamente por isso. Leis? Decretos? Normas e regulamentos? Em nossa diversidade cultural e imersos no gigantismo territorial aprendemos a contornar processos, e nisso tanto os da “esquerda” quanto os da “direita”, sem falar naqueles que sabem que os extremos desequilibram com possíveis resultados catastróficos, são especialistas.
É interessante ver e ouvir pessoas que deveriam ser mais sensatas e atentas se deixarem cooptar e engajar em processos absolutamente falsos, afinal a realidade é a melhor demonstração de qualquer teoria. Será que acreditam no que falam?
Nesses momentos de desilusão é bom ler bons livros, assim sentimos que o Brasil não é exceção, ao contrário, está na média da imaturidade universal, o que é extremamente perigoso.
A Ciência e a Tecnologia atingiram um nível altíssimo, muito além da capacidade de percepção de nossas lideranças. Talvez nossas bisnetas e bisnetos venham a assimilar melhor o que a Humanidade já descobriu. O desafio é deixar para eles um mundo razoavelmente seguro...
Somos brasileiros e vivemos no Brasil, assim estamos agora submetidos a um processo eleitoral que foi desmoralizado em junho de 2013, quando nossos jovens demonstraram o fracasso de nossos legisladores e governantes, desde o transporte coletivo urbano municipal até questões nacionais.
Não tivemos ajustes necessários e suficientes (seria impossível em prazo tão curto) e os governantes federais, “provavelmente” para atender interesses maiores (e privados) e na esperança de se manterem em seus postos de poder pouco fizeram para que o Brasil evoluísse. Antes de qualquer mudança é essencial para os poderosos terem convicção de que tudo será semelhante ao cenário que lhes deu as delícias da glória e palácios faustosos.
Temos uma monarquia burocratizada e criada na onda da “democracia”. Vemos políticos com sobrenomes que claramente mostram a mística de dinastias. O que precisamos saber é se essa gente de altas Cortes quer realmente trabalhar a favor de nosso país. Outros fazem qualquer negócio para ascenderem aos clubes de chefes.
Com certeza o maior pesadelo brasileiro é a ignorância, o atraso educacional. Sem boa uma formação humanística adequada nosso povo continuará a morrer pelo futebol, esquecendo seus filhos em ruas e desertos onde o que menos importa é o amor, o carinho, a capacidade de criar sentimentos de solidariedade. Nesses tempos neoliberais é pecado falar em amor ao próximo. Ao contrário, querem que sejamos feras competitivas, pois na ilusão de vencer todos aceitam a submissão a quadrilhas disputando o ganho ilimitado que a riqueza do mundo moderno viabilizou, sem muita atenção para a própria sobrevivência.
Maravilhosamente temos excelentes meios de aprendizado em História, Sociologia, Filosofia, Psicologia. Esse destaque é essencial, pois crenças antediluvianas ganham força, mais uma vez. Os períodos nazifascista e soviético já estão suficientemente longe para a percepção adequada do que significaram ditaduras totalitárias.
O que podemos dizer é que o Poder corrompe e esta ação deletéria pode ser exponencialmente pior quando temos países com as características do Brasil.
Vamos orar, rezar, torcer, meditar, estudar, trabalhar e ter esperanças de evolução. Os candidatos estão aí, talvez amargurados diante das restrições eleitorais.
Evoluímos muito, apesar de erros e falhas de caráter de nossos governantes. As facilidades de comunicação e de viagens devem estar criando uma nova mentalidade no Brasil. Vamos ver os efeitos disso tudo após as próximas eleições...

Cascaes
03.08.2014


Nenhum comentário:

Postar um comentário